Florescer

Florescer

Existe uma expressão que diz que se deve florescer no jardim em que se foi plantado. Uma das formas de entendê-la é imaginar-se como uma planta e que o florescimento é sua máxima potência. O jardim seria a família, os vínculos sociais e o local em que se vive. Assim, pode-se alcançar a máxima potência através das interações que se experiência.

As interações, de qualquer modalidade, seja um relacionamento amoroso, familiar, ou relacionado ao trabalho, seja um breve encontro ou um simples acenar de cabeça com alguém desconhecido, ou ainda, seja com a natureza em si, com as plantas, animais, águas ou com o próprio ar, representam o “fora”, são o contato do eu “interior” com algo exterior.

Esse contato entre dentro/fora pode ser consciente ou não. O não estar consciente das interações é o modo “automático” de se viver. Respirar sem ter consciência, se alimentar sem ter consciência, se locomover sem prestar atenção nos passos, dirigir de forma tão inconsciente que toma-se o caminho errado, conversar sem saber qual o objetivo real do diálogo, discutir, se ferir, agredir.

Nada disso parece bom, quando se experimenta o “estar” consciente. Nessa outra forma de interagir, com cada inspiração o ar que entra nos pulmões traz a consciência para o próprio corpo, sente-se como deve estar alinhada a postura para o melhor caminhar, ao dirigir, analisa-se o melhor trajeto para o destino e com tranquilidade permite passagem aos outros veículos e pessoas, pois sabe-se que o tempo utilizado com a gentileza não irá atrapalhar a pontualidade, pois a eficiência irá compensá-la, nos diálogos, a consciência permite notar a comunicação sutil do outro, o que está por detrás da escolha de palavras, dos gestos, e então, não se sente ferido e não se deseja agredir.

Essa consciência é como o desabrochar de uma flor, algumas flores são mais belas e perfeitas que outras. E é bem assim, com nossas interações, mesmo estando conscientes, em algumas situações atingimos nossa máxima potência, em outras nem tanto. Mas o que nos faz florescer é o conjunto dessas conexões, cada vez mais conscientes.

Assim, florescer no jardim em que se foi plantado é o mesmo que aproveitar todas as oportunidades do dia a dia, do jeito que elas se apresentam para você, para ativar a mente consciente e buscar a plenitude do ser, neste momento, neste lugar, nesta condição.

Acolha, integre, transmita.

Comente Aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nome *